A VERDADE


A VERDADE

Uma vez mais saí pelo mundo. Ao chegar na encruzilhada de todos os caminhos, perguntei o que era a VERDADE.- Busca-a na Filosofia - responderam os filósofos.- Não - argumentaram os políticos. A VERDADE está nos serviços prestados.- Vai às catedrais - aconselharam os padres.- Sem dúvida, a VERDADE é a SABEDORIA - asseveraram por sua vez os sábios.- Renuncia a tudo - ordenaram os ascetas.- Contempla e enaltece as maravilhas do Senhor - exortaram os místicos.- Acata e cumpre as leis - recomendaram os governantes.- Conhece-te a ti mesmo - cantaram os guardiões do Esoterismo.- A VERDADE está nos números sagrados - deduziram os cabalistas.- Vive os prazeres - aconselharam-me os epicuristas.- Junta-te a nós - clamaram os revolucionários.- Vive e deixa viver – gritaram os existencialistas.- A VERDADE é um mito - sustentaram os céticos.- A VERDADE é o passado - lamentaram-se os nostálgicos.Derrotado e confuso, senti-me abatido, enquanto aquela multidão interminável se afastava, clamando e reivindicando "sua" verdade.Perdido em meio a inúmeras reflexões, não me dei conta da chegada de um ancião que trazia nas mãos um diamante resplandecente.- Quem és tu? - perguntei-lhe. E o ancião, estendendo as mãos, respondeu-me:- Sou o guardião da VERDADE. - Da VERDADE? Mas ela existe?Sorrindo, o ancião aproximou o diamante do meu rosto e afirmou:- A VERDADE é como este tesouro, que tem mil facetas. E cada um deve averiguar aquilo que lhetoca. (Texto extraído do excelente livro “A Outra Margem” – do pesquisador e escritor espanhol J. J. Benitez – Editora Mercuryo.)