A ação silenciosa de um Ser de luz



 photo 20022007-121727-1.jpg


A ação silenciosa de um Ser de Luz
(Quando a Compuesce nos Chacras...)

Ele surge na minha sala à primeira hora da madrugada, de mansinho...
E toca o topo de minha cabeça, ativando o meu chacra coronário*.
Então, uma linda flor amarela se abre sobre mim.
Ele nada diz (e nem precisa), pois eu sei que sua ação é silenciosa.
E quando eu olho para ele, sinto o Poder de sua Compaixão.
E há uma dor nisso, pois eu sei que Ele absorve o sofrimento de muitos...
E transforma tudo num lindo Amor em seu próprio coração.
Eu sinto uma parcela disso e fico envergonhado de mim mesmo.
Porque esse pouco já é muito, e o meu coração ainda é pequeno para tanto.
Eu vejo as energias dentro dele, e percebo que ele age por entre os planos...
Ao mesmo tempo em que Ele está aqui, também está consciente em outros níveis.
E eu só vejo isso porque Ele me deixa ver, é claro. E Ele estar aqui é um presente!
Sim, eu sei porque Ele está aqui, e não tenho palavras para expressar o que sinto.
Então, uma simples palavra desce em meu coração: "Raja" (Real)**.
Ou seja, diante da Luz as ilusões se dissolvem, pois só tem valor o que é real!
Eu penso nisso, enquanto vejo Ele se afastar e ir na direção do meu quarto...
E ali eu o vejo emanando energias silenciosamente e abençoando o ambiente.
Na sequência, Ele entra no outro quarto, onde gosto de meditar e escutar música.
E ali Ele faz a mesma coisa... e eu fico só olhando, admirado por isso.
Daí, Ele vem novamente para a sala e me olha direto nos olhos...
E eu sinto a bênção dele descendo em mim... Serenidade integrada com o Amor.
E, em meu coração, eu agradeço a Ele por estar aqui (o silêncio dele diz tanto).
Finalmente, Ele junta suas mãos em frente ao peito e me faz uma saudação...
E eu, admirado e sem saber o que fazer, fico vendo como um Ser de Luz age.
Então, ao meu lado direito, Ele vai desaparecendo gradativamente no meio da Luz.
E eu fico aqui, quietinho, com a energia compassiva dele nos meus chacras***.
E, agora, eu nem sei o que fazer... pois só quero abraçar silenciosamente o mundo.    

    Wagner Borges