As sete profecias maias




As sete profecias maias
                                                                                                                                          “Considerada uma das civilizações mais intrigantes do planeta, os Maias deixaram como herança sete previsões quanto ao futuro e o momento presente vivido pela humanidade. Todas elas foram baseadas nas conclusões de seus estudos científicos e religiosos sobre o funcionamento do universo”. PRIMEIRA PROFECIA De acordo com o livro sagrado maia, Chilam Balam, no final do último katun (2012), cidades e civilizações serão destruídas, mas o período de escuridão terminará com os homens do Sol, que despertarão a Terra pelo norte e pelo poente. Essa primeira profecia fala sobre o final do medo, do “tempo do não tempo”, e abrange o último período de 20 anos, katun, do grande ciclo solar de 5125 anos. Segundo os maias, a partir de 1999 ocorreria uma época de escuridão em que a humanidade seria obrigada a rever e analisar o seu comportamento consigo mesma, com o seu ambiente, com a natureza e com o planeta. Os maias retratavam esse período como aquele em que a humanidade entrará no Grande Salão dos Espelhos. SEGUNDA PROFECIA Essa previsão revela que a partir do eclipse solar ocorrido em 11 de agosto de 1999, o comportamento da humanidade se transformaria de forma rápida, podendo viver duas situações: ou perderia o controle, ou conseguiria contornar conflitos, conquistando paz interior. Além disso, a sombra que a Lua projetou na Terra durante o eclipse – prevendo áreas de conflitos – envolveu a Europa, Oriente Médio, Irã, Iraque, Paquistão e Índia. Situações de morte, sofrimento e destruição, ao mesmo tempo provocarão circunstâncias de solidariedade e respeito pelo ser humano e seus semelhantes. Ocorrerão transformações na forma de comunicação, nos sistemas econômicos, sociais e religiosos. As mudanças também afetarão os valores éticos e convicções religiosas. TERCEIRA PROFECIA A terceira profecia diz que a temperatura da Terra aumentará, provocando mudanças climáticas e geológicas. O aquecimento, de acordo com os maias, ocorrerá principalmente devido à falta de sincronia do homem com a natureza. Entretanto, outros fatores também serão gerados pelo Sol, que produzirá mais irradiação devido ao aumento de sua vibração. Aliada a todos esses fatores, a alteração do comportamento do Sol provocará variações climáticas, alteração das chuvas, ventos fortes, furacões e tufões. Apesar de 70% do planeta ser coberto por água, o seu aquecimento produzirá secas, incêndios e redução da agricultura, pois o aumento da temperatura reduzirá a umidade relativa do ar, diminuindo as chuvas e afetando de forma indireta a fauna. Toda a situação poderá provocar racionamentos de eletricidade, descontentamento social e o aumento do número de pragas, como a malária. QUARTA PROFECIA Revela que o aquecimento do planeta devido aos problemas ambientais criados pelo homem e a maior atividade do Sol irá causar o derretimento dos polos, provocando aumento no nível dos oceanos e a inundação de terras costeiras, o que afetará 50% da população mundial. O escudo eletromagnético da Terra diminuirá, assim como a produção de ozônio na ionosfera, que até então impedia a chegada dos raios ultravioletas ao planeta. Nos últimos anos, diversos picos nevados do planeta têm perdido grande parte do gelo. Na Antártida, a temperatura nos últimos anos aumentou 2,5º C. QUINTA PROFECIA A crise dos sistemas acontecerá para que o homem enfrente a si mesmo e, dessa forma, perceba a necessidade de reorganizar a sociedade em direção à evolução e de uma compreensão da criação. Essa profecia relata que o aumento da atividade do Sol poderá causar danos aos satélites, complicando as comunicações e o controle de informações no planeta. A dose incomum de raios ultravioletas expande a atmosfera, diminuindo a pressão que existe sobre os satélites que se encontram em baixas altitudes. Isso fará com que eles diminuam sua órbita para outra mais rápida, o que provocará a perda de contato com eles. As transmissões de rádio e televisão também serão afetadas, pois é na ionosfera que as diferentes frequências são transmitidas. SEXTA PROFECIA De acordo com a sexta profecia maia, nos próximos anos um cometa colocará em perigo a existência da Terra e da humanidade. Os maias consideravam a presença de cometas como sinais de mudanças, de evolução. O cometa relatado na profecia, Ajenjo, foi também anunciado por diversas crenças e religiões. A presença dos cometas sempre gerou impactos na opinião pública. O mais conhecido é o cometa de Halley, que em 1456 foi considerado como um agente do diabo. Como grandes observadores e estudiosos do céu, os maias sabiam que seria importante para o homem moderno descobrir os grandes asteroides com antecedência, para que pudessem eliminá-los ou desviá-lo de seu curso. SÉTIMA PROFECIA A sétima profecia fala sobre o momento em que o sistema solar, em seu giro cíclico, sairá da noite para entrar no amanhecer da galáxia. Durante 13 anos, de 1999 a 2012, a luz emitida do centro da galáxia sincronizou os seres vivos, permitindo que eles pudessem concordar de forma voluntária com uma transformação interior, abrindo a oportunidade para mudar e romper seus limites por meio da mente. A capacidade de ler pensamentos revolucionará a civilização, pois eliminará a mentira para sempre, acabando com a violência e emoções negativas. Todos os seres humanos, conectados entre si, como um todo, darão início a um novo ser na ordem galáctica. A vida será mais longa devido a um super-sistema imunológico e, nessa nova realidade, a implantação de novas tecnologias na produção eliminará a pobreza para sempre.                                                                                                                             REVISTA SEXTO SENTIDO